Portal do Folclore - 10 anos ao serviço da Cultura Tradicional Portuguesa


"Passam precisamente dez anos desde que o “Folclore de Portugal – O Portal do Folclore Português” iniciou a sua actividade. Este Portal encontra-se on-line desde 1 de Novembro de 2000, constituindo já um caso de longevidade inclusive no domínio virtual. Este constitui um projecto único e inovador, sem paralelo nomeadamente a nível internacional, atendendo ao seu carácter multifacetado.

Não se trata de um mero site onde são adicionados links para diferentes grupos folclóricos nem tão pouco restringe a estes a sua intervenção. O Portal do Folclore constitui um projecto cultural abrangente de todos os domínios da nossa cultura tradicional e popular, desde os campos da museologia à representação etnográfica, da recolha de imagens à inventariação do nosso património imaterial, incluindo as lendas e tradições, a gastronomia, o cancioneiro, a medicina popular e numerosos outros aspectos de que trata a etnografia portuguesa.

Desde logo, o Portal do Folclore começou por ser um elo de ligação entre todos os folcloristas e grupos de folclore espalhados pelo país e pelo mundo, ligando as comunidades portuguesas e contribuindo para o estabelecimento de permutas e de entreajuda, esbatendo eventuais diferenças resultantes de estatutos de ordem associativa e contribuindo, desse modo, para criar condições com vista à sua própria melhoria. Mais ainda, tornou-se um meio de comunicação facilitada com agrupamentos e organizações de outros países através das ligações que para esse efeito disponibiliza. A sua utilidade apenas depende da utilização que os próprios grupos dele fizerem, contribuindo nomeadamente para a sua dinamização.

O aparecimento do Portal do Folclore, inicialmente complementado com a publicação no jornal “Folclore”, durante quatro anos consecutivos, da secção “O Folclore na Internet”, representou também um estímulo para a utilização das novas tecnologias por parte dos grupos folclóricos, tirando delas o melhor partido com vista à sua própria divulgação. Decorridos dez anos desde o seu aparecimento, consideramos no essencial positivo o balanço que fazemos da adesão do folclore português à Internet. Porém, ela revela-se ainda insuficiente, sobretudo se atendermos ao elevado número de agrupamentos que ainda não dispõe sequer de um site ou um blog, à deficiente actualização dos que já existem e, sobretudo, à dificuldade que revelam em superar novas etapas na sua divulgação. Recordo, a título de exemplo, a possibilidade levantada há dez anos no sentido da realização de um festival de folclore on-line no qual participassem agrupamentos portugueses espalhados por todo o mundo.

Por outro lado, pese embora os meios existentes, não existe por vezes da parte de alguns grupos folclóricos o cuidado que é devido com a preservação da sua própria imagem, submetendo-se a toda a espécie de divulgação sem atender os efeitos perversos que resultam de uma deficiente transmissão do som e da imagem, nomeadamente a sua repetição até à exaustão, fenómeno que pode inclusive resultar na própria destruição daquilo que se procura promover.

Ao longo de dez anos de actividade, o Portal do Folclore tem constituído uma ferramenta credível e o único meio de ligação entre todos os folcloristas e grupos de folclore portugueses espalhados por todo o mundo, sem qualquer espécie de distinção, procurando sempre contribuir para a sua melhoria e jamais para a sua exclusão. A própria opinião que tem no Portal do Folclore um espaço aberto traduz-se frequentemente numa crítica que se pretende positiva, na certeza de que o elogio gratuito em nada contribui para a melhoria da representação do folclore nem tão pouco reflecte a consideração que os grupos nos merecem.

Ao cabo de dez anos, todos quantos ao folclore e à etnografia do povo português dedicam a sua actividade devem congratular-se pela existência do Portal do Folclore e pelo serviço que presta à cultura tradicional portuguesa. É tempo de festejar mas também de reflectir acerca do futuro e da forma como este projecto merece ser acarinhado e ajudado para que melhor possa cumprir a sua missão.

À Equipa do Portal do Folclore Português endereço as minhas felicitações!"

Carlos Gomes(*)

Novembro, "mês das Almas"

"Novembro era o mês especialmente dedicado às almas. Nas sedes e em diversos lugares das freguesias, celebrava-se o mês das Almas. este consistia na leitura de textos apropriados e, por fim, na reza de um terço do rosário. Em Vila Real, nos anos trinta, o mês das almas fazia-se na igreja de São Pedro. A devoção começava, ás sete horas, com o exercício rezado. Seguia-se a missa, que era aplicada pelas obrigações das pessoas que tivessem auxiliado com as suas esmolas essa devoção. A manhã encerrava com a benção do Santíssimo. À noite, pelas 20h30, havia uma palestra por um orador de renome. A igreja chegava «a não comportar os numerosos fiéis que ali afluem com a amior devoção»"In Alto Douro - Terra de vinho e de gente, A.L. Pinto da Costa

Todos os Santos (1 de Novembro)>>>

Dia de Finados ou Fiéis Defuntos (2 de Novembro)>>>

Mês de Outubro de 2010

Já entrámos no mês de Outubro. Aos poucos, o Outono, com o frio, o vento e as chuvas, vai-se instalando no nosso país. Nas regiões vitivinícolas do nosso país, terminam as vindimas e começa a ser feito o vinho.

A propósito, no Portal do Folclore Português foram divulgados os Mandamentos do Vinho, como eram conhecidos há décadas atrás nas freguesias de Baçal (concelho de Bragança) e de Lousa (concelho de Torre de Moncorvo).

O mês de Outubro, era, no calendário de Rómulo, o 8º, e daí provém o nome que ainda hoje conserva. (saber mais>>>)

As actividades agrícolas continuam a realizar-se, agora com outro ritmo, num respeito pelas exigências próprias da natureza.

Apesar de já serem muito menos do que as realizadas nos meses de Verão, neste mês ainda se realizam algumas Feiras, assim como Festas e Romarias.

Durante este mês, decorrem as inscrições para os Cursos de Instrumentos Musicais (2ª fase), promovidos pela Fundação INATEL, e que se vão realizar em Lisboa, entre os meses de Novembro de 2010 e Fevereiro de 2011.

Quando se muito se fala em regionalização, sugerimos a leitura de um artigo de opinião do Dr. Carlos Gomes sobre “Os desafios do Regionalismo no século XXI”.

É tempo de os Grupos de Folclore começarem a preparar os Encontros e Festivais de Folclore do próximo ano e outras actividades a desenvolver a partir de agora.

A Equipa do Portal do Folclore Português continua a divulgar no Blog “Etnografia em Imagens”, fotos e imagens diversas que reputamos de interesse. Se quiser colaborar, é só enviar-nos via email a(s) imagem(ns) e um texto alusivo à(s) mesma(s).

Este mês sugerimos a obra “A origem do Fado”, da autoria do Dr. José Alberto Sardinha, e editada pela Tradisom - Produções Culturais, Lda.

Bom mês de Outubro para todos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...