XIX Jornadas Técnicas de Etnofolclore - Coimbra

A Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego vai realizar no próximo dia 21 de novembro, a partir das 10h00, na Casa Municipal da Cultura de Coimbra, as XIX Jornadas Técnicas de Etnofolclore, integradas na comemoração do seu 30º aniversário.

A organização pretende que mais esta edição das Jornadas seja uma ação de formação e valorização para todos os participantes e ainda um alerta para a necessidade premente de uma melhor salvaguarda desse valioso património que os Grupos de Folclore recuperam na sua atividade de recolha.
Para o efeito, vai contar com a presença de alguns especialistas nacionais que abordarão as duas temáticas principais: a tradição oral enquanto património imaterial (os provérbios, os pregões e outras formas de linguajar) e a dança tradicional (seu significado e execução).

No final dos trabalhos, assistiremos a uma demonstração das diversas formas de linguajar realizado pelo GEDEPA, da Pampilhosa.
A Etnografia e o Folclore participam significativamente no debate sobre a cultura popular e a identidade nacional, na medida em que enfatizam a dimensão cultural e popular do processo da sua formação.

Estas Jornadas contam com o apoio de várias entidades locais e regionais e destinam-se aos elementos de grupos folclóricos e outras associações ligadas à cultura popular, estudiosos do folclore e etnografia e público em geral.
A participação pode ser feita mediante o preenchimento de uma ficha de inscrição e pagamento de 7,5€.

Programa
Dia 21 de novembro

10.00 – Abertura do secretariado
10.30 – Sessão solene de abertura

11.00 – Pausa para o café
11.15 – Fala para que eu te veja! O que nos dizem os provérbios? - Doutor Alexandre Parafita

11.45 – Pós p’ra bicharada! Os pregões e o património - Inspetor Lopes Pires
12.15 – Discussão dos temas apresentados - Moderadora: Mestre Sandra Lopes

13. 00 – Almoço livre
14.30 – Música e dança no contexto dos processos de folclorização: abordagem sumária - Doutor Avelino Correia

15.00 – Salvaguarda da dança tradicional - Doutora Marisa Barroso
15.30 – Dança popular: autenticidade, beleza e alegria na execução - Eng. José Teixeira

16.00 – Discussão dos temas apresentados – Moderador: Dr. Luís Madaleno
16.30 – Pausa para o café

16.45 – Tesouros do Povo – Pampilhosa e seu linguajarGEDEPA - Grupo Etnográfico de Defesa do Ambiente e Património | Pampilhosa - Mealhada

2.º Congresso da Associação CIOFF® Portugal


2.º Congresso da Associação CIOFF® Portugal
21 Novembro | Unidade Hoteleira INATEL Costa da Caparica

Interação Internacional dos Agentes do Folclore Português
eventos e participação

A Associação CIOFF® Portugal promove no dia 21 de novembro (sábado) o seu 2º Congresso, subordinado ao tema INTERAÇÃO INTERNACIONAL DOS AGENTES DO FOLCLORE PORTUGUÊS – EVENTOS E PARTICIPAÇÃO, com o objetivo de abrir o diálogo entre promotores de Festivais CIOFF® em Portugal (diretores de festivais, associações culturais locais, autarquias e direções regionais), grupos que participam ou pretendem participar em festivais internacionais de folclore CIOFF® no estrangeiro e os diversos agentes, técnicos e estudiosos responsáveis por intervenções nas áreas da cultura e salvaguarda do património imaterial, do desenvolvimento regional e turístico e da organização de eventos culturais de caráter festivo e participado.
A atratividade dos festivais internacionais de folclore enquanto polos dinamizadores do turismo e da economia regional, a importância das parcerias estratégicas com autarquias e os fatores de identidade e de manutenção das relações sociais inerentes à organização destes eventos são alguns dos temas a abordar no Congresso, que será assinalado pelo 45.º aniversário de atividade do CIOFF® como rede de trabalho internacional.

INSCREVE-TE!
Local: Unidade Hoteleira INATEL Caparica

Organização: Associação CIOFF Portugal
Destinatários: Grupos de folclore participantes ou com intenção de participar em Festivais CIOFF® no estrangeiro; diretores de festivais CIOFF® e de festivais nacionais e internacionais de folclore e de artes tradicionais; Dirigentes e técnicos autárquicos; Técnicos na área do turismo; Direcções regionais da cultura.

Inscrição: €3,00 | Isenção para Membros da Associação CIOFF® Portugal (Efetivos: até 2 elementos; Associados: até 1 elemento)
Para mais informações e inscrições: cioff-portugal@cioff.org | 210 027 150 | www.cioff-portugal.pt

Em Valença: O Mundo a Dançar


Em Valença: O Mundo a Dançar - Grupo da Rússia
No próximo dia 8 de Agosto, Sábado, no Jardim Municipal, Valença recebe o espetáculo “O Mundo a Dançar – Festival Internacional de Folclore”, no qual Grupos da China, Geórgia, México e Rússia, estarão em palco para um espetáculo único de dança, música e cor. Esta iniciativa, organizada pela Câmara Municipal, decorre no âmbito do Festival FolkMonção.

Esta é uma oportunidade para apreciar grupos de grande qualidade artística, representativos dos vários cantos do mundo que, ano após ano, tem encantado e fidelizado um número crescente de público em Valença.

Da China, da cidade de Hebei, vem o Grupo de Dança da Universidade de Tecnologia de Hebei, que executará danças folclóricas nacionais, danças clássicas e danças modernas. Os seus bailarinos apresentarão o traje nacional chinês colorido, um traje étnico.

Da Geórgia, da cidade de Gori, vem o Folk Dance Ensemble Shavlego. O grupo apresentará um conjunto de danças e músicas de todo o país para mostrar e preservar a sua antiga cultura e tradição.

Do México, da cidade do México, vem a Compañia Nacional Danza Folklórica. O colorido único, as danças e cantares tão emblemáticas e acarinhadas deste pais serão dadas a conhecer em Valença.

Da Rússia, da cidade de Arkhangelsk, vem o Exemplary Choreographic Ensemble Druzhba. O grupo apresentará as típicas danças russas e principalmente da sua região.

Estão todos convidados a assistir a um espectáculo com danças folclóricas de vários países do mundo!

Fim de Tarde com Folclore - Vila Nova de Cerveira


Fim de Tarde com Folclore - Vila Nova de Cerveira
No próximo sábado, dia 8 de Agosto, pelas 18h00, no Terreiro de Vila Nova de Cerveira, vai realizar-se um “Fim de Tarde com Folclore”. De acesso livre, esta iniciativa é organizada pela Câmara Municipal e conta com a participação do Rancho Folclórico “Dança na Eira” de Newark (Estado Unidos da América) e o Rancho Folclórico Infantil de Gondarém, de Vila Nova de Cerveira.

Vai ser um verdadeiro momento de louvor aos valores etnográficos e tradicionais interpretados por gentes que recordam a terra – emigrantes em Newark - e por gentes que vivem na terra – comunidade de Gondarém. Este ‘Fim de Tarde de Folclore’ promove a defesa do património cultural e a salvaguarda de uma memória coletiva que rompe fronteiras e distâncias. Através das danças e dos cantares, dos trajes e dos usos e costumes, este convívio folclórico além-fronteiras homenageia os emigrantes alto-minhotos que não esquecem o amor à terra que os viu nascer, continuando a prestar um apoio notório e significativo nas mais variadas áreas.

Criado em 2008, o Rancho Folclórico “Dança na Eira”, de Newark – cidade norte-americana que acolhe um grande número de cerveirenses -, é um exemplo de preservação e promoção das tradições e nome de Cerveira. Integrado na Fundação Bernardino Coutinho, o grupo composto por 90 elementos tem duas vertentes, infanto-juvenil e adulta, sendo dirigido por Denis Cavadas. Os seus trajes femininos adultos, onde dominam o preto e o roxo, espelham a beleza das mordomas de Santa Marta de Portuzelo (Viana do Castelo - Minho); já os das dançarinas mais pequenas fazem alusão às tradições festivas que simbolizam a zona também minhota de Arcos de Valdevez. Os elementos masculinos vão buscar inspiração, em termos de vestuário, ao traje tradicionalmente domingueiro da mesma zona de Portugal.

Por sua vez, e procurando incutir as tradições nas novas gerações, o Rancho Folclórico Infantil de Gondarém é fruto de um projeto educativo, elaborado no ano letivo 2000/2001, em parceria com a Autarquia e a Comunidade Educativa, criando assim sua secção infantil “Rancho Folclórico Infantil de Gondarém”. No dia 25 de Abril de 2001 foi constituída a Associação com a denominação de Rancho Folclórico Infantil de Gondarém. Com o crescimento das crianças e o surgimento de outras, este Rancho passou a Rancho Infantil e Juvenil, e tem atuado em festas e festivais de Norte a Sul do País e no estrangeiro.
Fonte: Gabinete de Comunicação e Imagem do Município de Vila Nova de Cerveira

Mosteiro de Sanfins de Friestas recebe Sanfins Medieval


No fim-de-semana de 10 e 1 de Julho, numa iniciativa que pretende dinamizar um dos mais emblemáticos mosteiros do Noroeste Peninsular, o Mosteiro de Sanfins, em Valença, recebe o Sanfins Medieval.

Esta vai ser mais uma jornada medieval, com ceia, visitas guiadas, serenatas, ateliers de pintura, canto e serenatas. Um programa que remete o visitante para a época medieval e um exemplar da arquitetura religiosa românica, classificado como monumento nacional.

Assim, na sexta-feira, 10 de Julho, as actividades começam às 18h00, com a abertura de uma exposição sobre a arquitetura do mosteiro, a cargo da Universidade do Minho, seguido da apresentação do livro “Mosteiro de Sanfins de Friestas”.

Ponto alto do evento vai ser a ceia medieval, com o celebre Anho à Sanfins, assado nos fornos de lenha, com arroz do pingo e outras iguarias da época, acompanhado dos bons vinhos da região. O Anho à Sanfins é criado em rebanhos, sobretudo, nas serranias do Faro, da Furna e de São Lourenço, nas mais puras pastagens da carqueja, do rosmaninho e do tojo bravo que dotam esta carne de um sabor inigualável. Uma ceia animada com a Tuna da Universidade do Minho.

Do programa para sábado, 11 de julho, consta um atelier de pintura e exposição, a partir das 16h00. Para as 19h está agendada uma visita guiada ao conjunto arquitetónico do Mosteiro que terminará com a voz da soprano Silvia Pinto. Da jornada de sábado destaca-se ainda a ceia e a serenata a cargo do grupo Luar do Minho.

Sanfins Medieval encerrará com o ritual da Queimada Galega, onde não faltará o “Conxuro” da Queimada.

Sanfins Medieval é um evento que marca e projeta o Mosteiro de Sanfins. Este é um dos monumentos mais emblemáticos de Valença que a Câmara Municipal tem tentado dinamizar, com a limpeza da área da cerca da quinta, reflorestação com espécies autóctones, organização de visitas guiadas e de um conjunto de eventos, sobretudo para os mais jovens, ao longo do ano.

A iniciativa é da Associação Cultural e Artística Luar do Minho e conta com o apoio da Câmara Municipal de Valença.

A participação na ceia implica uma pré-inscrição para o nº 965405545

Mercado Tradicional "O Feirão"


No próximo dia 4 de Julho, a Praça Guillemó, na capital do Principado de Andorra, acolherá a segunda edição do Mercado Tradicional “O Feirão”, uma iniciativa do Grupo de Folclore “Casa de Portugal”, que começa a ser já uma tradição.

A partir das 11h, os assistentes desta magnífica mostra cultural poderão desfrutar da gastronomia portuguesa, provar vinhos e licores caseiros, adquirir os melhores produtos hortícolas, assim como apreciar o artesanato português até às 16h, momento em que os elementos do Grupo de Folclore “Casa de Portugal” farão uma apresentação de danças tradicionais.

Enquadrados numa feira de meados do século XX, os membros do Grupo, trajados com a roupa regional, proporcionarão alguns momentos de distração com danças e cantares tradicionais, enquanto os visitantes passeiam pelas 5 zonas temáticas.

Esta iniciativa cultural conta com a colaboração do Comú (Câmara) de Andorra la Vella e as atividades serão difundidas pela internat através da Rádio Ondas de Portugal.



Feira de Maio em Azambuja: a mais castiça do Ribatejo!


Feira de Maio em Azambuja: a mais castiça do Ribatejo!
Vai realizar-se, na Vila de Azambuja, entre os dias 28 de Maio e 1 de Junho, a centenária FEIRA DE MAIO – a mais castiça das Festas Ribatejana.

É, sem dúvida, o Ribatejo no seu melhor, durante cinco dias de muito convívio e festa brava!

Embora a inauguração oficial da feira esteja marcada para as 17 horas, na Praça do Município, e à qual se vão juntar os campinos, a fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Azambuja e os elementos das tertúlias, a festa arranca em força na quinta-feira (28), dia dedicado às Tertúlias. Depois de uma animada vacada, pelas 10h30, à uma da tarde o Jardim Urbano da vila enche-se de juventude e alegria com o almoço convívio das Tertúlias. Às quatro da tarde, as já ornamentadas ruas de Azambuja ganham ainda mais cor e vida com o desfile das tertúlias, envergando as suas  camisolas e lenços bem garridos.

Após a cerimónia oficial de inauguração, segue-se a abertura, no Campo da Feira, do pavilhão do Artesanato e das Atividades Económicas e da “Praça das Freguesias”, que volta a concentrar atenções ao longo dos 5 dias da Feira de Maio. Esta praça assume-se, efectivamente, como o grande palco da ótima gastronomia regional e da animação, com toda a riqueza cultural de cada uma das sete Freguesias do Concelho de Azambuja.

As tasquinhas estarão a cargo de diversas associações e instituições de solidariedade, e de sexta-feira a segunda-feira estarão abertas entre o meio-dia e as 24 horas. As coletividades desportivas e recreativas garantem a animação das noites com as suas manifestações artísticas.

A primeira entrada de toiros pelas ruas da vila acontece às 19h00. À meia-noite, os caminhos vão dar ao Páteo Valverde, para um espetáculo com o trio Fado Marialva. Este dia encerra com a Mesa da Tortura, prova de resistência e bravura na Praça de Toiros Dr. Ortigão Costa.

A sexta-feira continua a constituir um dos maiores cartazes da Feira de Maio, com a Noite da Sardinha Assada. Tudo começa às 21h00, com o cortejo de campinos com o gado pelas ruas da Vila à luz de archotes, seguido da habitual largada de toiros. A partir da meia-noite acontece a distribuição gratuita de sardinhas, pão e vinho nos Largos do Rossio, da Fonte de Santo António, de Palmela, dos Pescadores e também na Praça do Município. Na noite mais animada não faltarão o fado vadio, a música itinerante e vários arraiais até ao romper do dia. Às três da madrugada, animação popular ao rubro com a cantora Rebeca na Praça do Município.

Sábado é o Dia do Cavalo. Encontro marcado na Várzea do Valverde, onde a partir das 15 horas os campinos mostram todas as suas capacidades nas provas de campo, com a condução de Jogos de Cabrestos, Condução de Cabresto e Prova de Perícia. A animação da noite terá uma romaria a cavalo pelas tertúlias da vila, às 21h30, e a Mesa da Tortura, na Praça de Toiros Dr. Ortigão Costa, às duas da madrugada. A atração musical será o grupo HMB que atuará no Páteo Valverde, quando for meia noite.

Na manhã de domingo, Dia do Campino, vive-se o momento mais solene, a tradicional Homenagem ao Campino, na Praça do Município, pelas 09h30. Todos os campinos veem o seu valor reconhecido na figura de um dos campinos que dedica a sua vida aos cavalos e aos toiros e há mais anos colabora na Feira de Maio. Este ano, o homenageado será o Campino Carlos Alves da Silva. Às 11h00, terá lugar na várzea uma prova regional de equitação de trabalho para cavaleiros iniciados. Destaque, igualmente no domingo, para a tradicional Corrida de Toiros à Portuguesa, pelas 17h00, na Praça de Toiros Dr. Ortigão Costa. Atuarão os cavaleiros Joaquim Bastinhas, Tito Semedo e Sónia Matias, e os forcados amadores de Cascais, do Ribatejo e de Azambuja.

Na última manhã da feira, segunda 01 de junho, o Dia da Criança comemora-se com “Feira na Vila”. As crianças do 1º ciclo do Ensino Básico visitam tertúlias e participam em várias atividades culturais e recreativas. Às cinco da tarde, antes da última espera de toiros, procede-se à entrega de prémios às melhores ornamentações de largos, janelas ou fachadas, e montras, na Praça do Município.

Finalmente, importa dar o devido destaque às largadas de toiros, diárias, que constituem um dos principais ingredientes da festa: quinta-feira, às 19h00; sexta-feira, a grande noturna, às 22h00; sábado, às 18h30; domingo, às 10h30; e a última, segunda-feira, às 18h30.
 
 

5ª edição do Festival de Folclore Ibérico – Principado de Andorra


No primeiro fim-de-semana do mês de Maio, o Grupo de Folclore “Casa de Portugal” assinalou o seu 19º aniversário com a realização da 5ª edição do Festival de Folclore Ibérico – Principado de Andorra, no qual participaram Grupos de Folclore de Portugal, Espanha e Principado de Andorra.

O programa das celebrações iniciou-se na sexta-feira, dia 1 de Maio, com a Sessão Solene no Comú d’Escaldes-Engordany (Câmara Municipal), onde os Grupos participantes no Festival foram recebidos pela Cònsol Major (Presidente da Câmara), Trini Marín e pela Vereadora da Cultura, Núria Barquin, e na qual foram impostas as fitas comemorativas e se fez a habitual troca de presentes entre os grupos. Trini Marin destacou a importância que o Festival de Folclore Ibérico tem para a paróquia de Escaldes-Engordany e para o país, dado que “permite o intercâmbio de culturas”.

No sábado à noite, dia 2 de Maio, as ruas de Escaldes-Engordany receberam o desfile etnografico, composto por mais de 150 folcloristas que, com a música tradicional e a diversidade dos trajes, encantaram o inúmero público que desfrutava da iniciativa turística “Nit Vivand”.

O cortejo terminou no Auditório do Prat del Roure, onde os Grupos desfilaram pelo palco, na presença das Vereadoras de Finanças e de Meio Ambiente e Idosos do Comú d’Escaldes-Engordany, Núria Gómez e Magda Sinfreu, respetivamente, do Presidente da Junta de Freguesia de Paramos, Manuel Dias, do Pároco português em Andorra, Padre Albano Fraga, e do público que, aos poucos, foi enchendo a sala.

Coube ao Grupo de Folclore “Casa de Portugal” a abertura do Festival, apresentando as danças e a beleza policromática dos trajes do Alto Minho. O folclore andorrano foi apresentado pelo Esbart Dansaire d’Andorra la Vella, através das danças típicas como a “disfraçada” ou a “Festa Pagesa” recebendo calorosos aplausos do público presente. O folclore espanhol esteve a cargo da Agrupación de Danzas Virgen de las Nieves de Tanos que deleitou os assistentes com a etnografia cantábria. O folclore português voltou de novo ao palco, desta vez pelo Rancho Regional “Recordar é Viver” de Paramos – Espinho, que apresentou uma mostra etnográfica do Douro Litoral, tendo convidado o público a dançar o Vira Geral no final da sua atuação, terminando em festa mais uma edição do Festival Ibérico.

A satisfação do público e dos organizadores foi unânime, estando estes motivados a continuarem a promover a cultura portuguesa nos Vales de Andorra, tendo já agendada, para Julho, a realização da 2ª edição do mercado tradicional português ”O Feirão” assim como a digressão à Cantábria, em Agosto.

XV Feira Rural em Paranhos À Moda Antiga


XV Feira Rural em Paranhos À Moda Antiga
Nos próximos dias 30 e 31 de Maio de 2015, vai realizar-se, em Paranhos – Porto, a “XV Feira Rural em Paranhos À Moda Antiga” e também a “VII Feira das Tradições”, numa verdadeira viagem de regresso ao passado.

Na iniciativa, organizada pelo Rancho Folclórico de Paranhos, em parceria com a Junta de Freguesia de Paranhos, vão estar presentes cerca de 60 representantes de grupos folclóricos e artesãos que deliciam todos os que por lá decidam passar.

De vários pontos do país irão chegar, nesse fim-de-semana, no emblemático Jardim Arca D'Água, algumas dezenas de grupos trajados como antigamente e expondo, para venda, os mais variados produtos das suas terras: fruta, legumes, doces, queijos, enchidos, petiscos, vinhos e artesanato são alguns exemplos daquilo que poderá ser encontrado nesta Feira. Também poderão ouvir os tocadores de concertina e os cantares ao desafio.

No Festival de Folclore, a realizar no dia 30 de Maio (Sábado) pelas 21h30, darão mostras das suas tradições e irão marcar a noite com alegria os seguintes grupos:

  • Rancho Folclórico e cultural da Boavista - Portalegre
  • Grupo Folclórico da Região de Arganil - Coimbra
  • Rancho Folclórico de Ferreirim  – Lamego
No dia 31 de Maio (Domingo), a partir das 15h00, a animação estará a cargo de:

  • Grupo de  Cavaquinhos do Porto
  • Fadista Francisco Moreira “ KIKO”
O Grupo organizador pretende, assim, recriar as antigas Feiras que, naquele local, eram realizadas há mais de 100 anos.

A maioria das pessoas costuma participar nesta iniciativa pelo convívio e pela curiosidade de ver a recriação de uma Feira Rural.   

O Rancho Folclórico de Paranhos orgulha-se, pois, de organizar este evento, apesar de todo o esforço, sacrifício e empenho necessários.

A participação nesta iniciativa permitirá viver um fim-de-semana diferente e desde já a organização transmite uma palavra de gratidão a todas as pessoas que por lá irão passar.

Festival de Folclore Ibérico – Principado de Andorra


Festival de Folclore Ibérico – Principado de Andorra
No âmbito do programa da celebração do 19º aniversário do “Grupo de Folclore Casa de Portugal” no Principado de Andorra, vai realizar-se, nos próximos dias 1 e 2 de Maio, a quinta edição do Festival de Folclore Ibérico – Principado de Andorra, uma iniciativa da entidade cultural fundada a 1 de Maio de 1996.

Nesta edição, a cultura tradicional da Península Ibérica estará a cargo, em representação de Andorra, pelo Esbart Dansaire d’Andorra la Vella, em representação de Espanha, pela Agrupación Virgen de las Nieves de Tanos – Torrelavega (Cantabria), e pelo Rancho Regional Recordar é Viver de Paramos – Espinho (Portugal) que juntamente com o Grupo anfitrião representarão o folclore lusitano.

No dia 1 de Maio terá lugar a Sessão Solene no Comú d’Escaldes-Engordany (Câmara Municipal), onde os Grupos serão recebidos pela Cònsol Major (Presidente da Câmara), Sra. Trini Marín, e à qual assistirá também o Sr. Manuel Dias, Presidente da Junta de Freguesia de Paramos. Na cerimónia serão colocadas as fitas comemorativas e será feita a entrega de lembranças alusivas ao Festival.

No dia 2 de Maio, sábado, a partir das 21 horas, realiza-se um desfile pelas ruas de Escaldes-Engordany, coincidindo com o evento de rua “Nit Vivand”, um espaço comercial e de lazer para os turistas que visitam o país.

Após o desfile, a Sala do Prat del Roure será o palco principal das celebrações onde, a partir das 22 horas, mais de 150 folcloristas apresentam as danças e cantares tradicionais ao inúmero publico que, habitualmente, assiste ao encontro ibérico de culturas, com entrada gratuita.

A realização deste Festival não seria possível sem a colaboração do tecido empresarial português e andorrano que, anualmente, tem apostado na sua concretização, e que este ano será transmitido via internet pela Rádio Ondas de Portugal.

Valença celebra a chegada do mês de Maio


Valença celebra a chegada do mês de Maio
Valença, bem no norte de Portugal, celebra a entrada em Maio com a maior Mostra de Maias do país, distribuídas pelas portas, janelas e fachadas da cidade, entre 30 de abril e 3 de Maio. Durante 4 dias, Valença vai, assim, apresentar-se colorida, cheia de flores campestres, e revivendo uma tradição secular.

Nas lojas comerciais, edifícios públicos, rotundas, jardins e portas da Fortaleza, as "maias", (coroas de flores) com os mais diversos tamanhos e arranjos artísticos, vão dar um colorido especial à cidade, completado pelos tapetes floridos, com flores campestres, na Praça da República, na Fortaleza.

Quem visitar Valença pode, também, participar na campanha “Compras com Maias” que habilita a vales de compras no comércio tradicional, com prémios de 250, 150 e 50 euros, para que quem fizer compras, superiores a 20 euros, entre 30 de Abril e 31 de maio, nos estabelecimentos aderentes.

As giestas, os verdes, as flores campestres e alguns materiais recicláveis vão dar uma cor primaveril às principais ruas de Valença. Por todo o concelho, muitas outras Maias e raminhos de giesta vão enfeitar as varandas, os portões e as viaturas.

Valença revive há já alguns anos, assim, a mais antiga festa de celebração da Primavera e do novo ano agrícola, com as “Maias”. Uma expressão viva da tradição e cultura popular que Valença tem vindo a recuperar nos últimos anos.

A par da mostra de Maias decorrerá a Feira de Artesanato Urbano, na Praça da República, em 3 de maio, a exposição Reptigália, no Museu do Bombeiro, entre 1 e 18 de maio, a Feira de Antiguidades e Velharias, no Mercado Municipal, em 3 de maio, entre outras atividades desportivas e recreativas.

XX Feira Rural Portuguesa - Federação do Folclore Português


XX Feira Rural Portuguesa
XX Feira Rural Portuguesa

01, 02 e 03 de Maio de 2015

Vai realizar-se, nos próximos dias 1, 2 e 3 de Maio, no Parque Santa Maria Adelaide, Arcozelo (Vila Nova de Gaia) a XX Feira Rural Portuguesa, onde estarão presentes cerca de 80 Grupos de Folclore de quase todas as Regiões Etnográficas do País.

A Feira Rural Portuguesa é cada vez mais um ponto de referência para os milhares de visitantes que procuram reviver tempos passados.

Durante os três dias da sua realziação, estima-se a presença de 20.000 visitantes, que poderão ver e saborear as diversas iguarias e deliciar-se com a mais variada gastronomia tradicional Portuguesa. Ao mesmo tempo, poderão apreciar e adquirir produtos artesanais, bem como assistir a diversas animações no recinto da feira.

Esta iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia de Arcozelo e Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Programa da Feira

Sexta-feira - 1 de Maio

16h30 - Atuação do Rancho Folclórico de Santa Luzia de Airães - Felgueiras

18h30 - Atuação do Rancho Folclórico do Divino Espírito Santo - Vila Nova de Gaia

21h30 - Atuação do Grupo Folclórico "Os Fogueteiros de Arada" - Ovar

22h30 - Atuação do Rancho Regional de Fânzeres - Gondomar

(Depois da sua atuação, cada Grupo irá fazer um workshop de dança onde o público poderá participar)

Sábado - 2 de Maio

16h30 - Atuação do Rancho Típico de Esposade - Matosinhos

17h30 - Receção das Entidades Oficiais e convidados na Sede da Federação do Folclore Português

17h30 - Visita oficial à Feira

18h00 - Atuação do Grupo Folclórico da A.C.R. de Vale Domingos - Águeda

21h00 - Atuação do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Souselo - Cinfães

22h00 - Atuação do Grupo Folclórico "O Cancioneiro de Cantanhede" - Cantanhede

23h00 - Atuação do Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão da Feira - Santa Maria da Feira

(Depois da sua atuação, cada Grupo irá fazer um workshop de dança onde o público poderá participar)

Domingo - 3 de Maio

16h00 - Atuação do Rancho Regional de Argoncilhe - Santa Maria da Feira

17h00 - Atuação do Rancho Folclórico das Lavradeiras da Trofa - Trofa

(Depois da sua atuação, cada Grupo irá fazer um workshop de dança onde o público poderá participar)

Em simultâneo, irá estar patente, nas instalações da Sede da Federação do Folclore Português uma Exposição de fotografias intitulada "Gente do Folclore Português". Horário da exposição: 15hOO às 19h30

Produtos à venda na Feira: Doçaria | Enchidos | Frutas e Legumes | Gastronomia | Queijos | Artesanato | Tecidos

cinANTROP - Festival Internacional de Cinema Etnográfico


cinANTROP - Festival Internacional de Cinema Etnográfico
Ourém recebe a terceira edição do cinANTROP - Festival Internacional de Cinema Etnográfico, a realizar nos dias 28, 29 e 30 de abril e 02 de maio, com sessões às 14h30 e 18h00, no Museu Municipal de Ourém – Casa do Administrador.

Este Festival, um projeto pioneiro de Bruno Gaspar e que remonta a 2013, nasceu com o objetivo de elevar o cinema documental e etnográfico, com especial enfoque para o Festival de Curtas Metragens, com o Prémio António Campos para ser atribuído aos melhores projetos apresentados por qualquer participante.

As sessões, deste que é o primeiro festival de cinema etnográfico na Península Ibérica, decorrerão em simultâneo com os concelhos da Batalha, Leiria e Marinha Grande, tem como objectivo criar uma região que se quer como capital do cinema etnográfico de Portugal e pretende preservar e promover a identidade dos municípios através do cinema.

Os filmes abordarão  temáticas como a dimensão turística, o património natural e edificado, a história, as tradições, a cultura material e imaterial dos concelhos envolvidos.

São muitas as parcerias do festival, que lhe darão inclusive projeção internacional a partir da colaboração com outros festivais.

PROGRAMA

28 de abril – 14h30 | M/12

- PASTORPOLIS (Joaquim Dâmaso e Manuel Leiria – 12m)

- DO MAR AO FADO (Sílvio Espalha – 20m:29s)

29 abril – 14h30 | M/12

- MORCELA DE ARROZ (Ricardo Portela, Sofia Mota, Joel Rainho - 12 minutos)

- CURA (Pedro Alves – 17 m_25s)

30 abril – 18h00 | M/12

- QUE ESTRANHA FORMA DE VIDA (Pedro Serra – 108 m)

2 maio – 18h | M/12

- NAS TRIBOS DO VALE DE OMO – Etiópia (Érico Hiller - 3 minutos)

- MANUEL LIMPINHO (Silvino Espalha – 9m:30s)

- GENTES DA PRAIA DA VIEIRA (fotos da ECO – 1m:29s)

- UMA VIDA MAIS SIMPLES (Inês Alves – 39 minutos)

- A VIDA QUE SÓ A GENTE OUVE FALAR (Júlia Tami Ishikawa – 20min)

 Acesso gratuito

Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo


A Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo - grupo de cavaleiros
É já na próxima quarta-feira, dia 22 de Abril, pelas 9h00 que vai ter início mais uma edição da Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo. Os romeiros partem do Pavilhão Municipal de Exposições, na Moita, rumo à Igreja Paroquial da Moita e, após a bênção da imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem, seguem para Viana do Alentejo.

A Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo é, sem dúvida, uma das maiores iniciativas equestres nacionais que, após um interregno de mais de 70 anos, voltou a realizar-se em 2001, recuperando a tradição dos lavradores da Moita, que se deslocavam com os seus animais ao Santuário de Nossa Senhora D’Aires, para pedir proteção e boas colheitas.

Como habitualmente, o percurso será feito pela antiga Canada Real, mais conhecida por Estrada dos Espanhóis. Os romeiros vão pernoitar nas localidades de Poceirão, Casebres e Alcáçovas, e a chegada a Viana do Alentejo, um dos pontos altos da romaria, deverá acontecer por volta das 17h30 do dia 25 de abril.

A XV edição da Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo é dinamizada por uma Comissão Organizadora (Associação dos Romeiros da Tradição Moitense, Associação Equestre de Viana do Alentejo e as Câmaras Municipais da Moita e de Viana do Alentejo) e conta também com o apoio das entidades regionais de turismo do Alentejo e de Lisboa e Vale do Tejo.

As inscrições para participar na Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo ainda podem ser efetuadas através da Divisão de Atividades Económicas da Câmara Municipal da Moita (Largo Dr. Joaquim Marques Elias, na Moita; telefone 210 816 910).

Acompanhe a Romaria a Cavalo Moita – Viana do Alentejo na página do facebook .

Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio


DESAFIOS – Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio
No fim-de-semana de 9 e 10 de Maio de 2015, vai realizar-se, em Ponte de Lima, uma iniciativa designada como DESAFIOS – Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio.

Este evento, realizado em co-organização entre a Fundação INATEL e a Câmara Municipal de Ponte de Lima, propõe um programa diversificado ao longo de todo o fim-de-semana, com uma componente expositiva e de conversa aberta sobre os principais agentes e protagonistas desta manifestação cultural (v. oradores e moderador).

Ao mesmo tempo, esta iniciativa conta com uma componente performativa de rua e de palco, com Danças Ocultas no Teatro Diogo Bernardes e o Encontro de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio pelas ruas da vila de Ponte de Lima e no palco DESAFIOS, na Av. dos Plátanos.

Em 1996, e com o objetivo de reabilitar esta prática e de recentrar o papel da concertina e dos cantares ao desafio nas manifestações populares, a INATEL promoveu, no Castelo de Santiago da Barra (Viana do Castelo), um primeiro convívio que contou com a participação de cerca 40 tocadores e cantadores.

Este primeiro encontro deu o impulso definitivo a um movimento de redescoberta da concertina e à difusão por todo o país de encontros regionais de tocadores que se caracterizam, atualmente, pela participação e envolvimento de milhares as pessoas de diferentes escalões etários e sociais.

A edição de 2015 desta actividade, para além de evocar os 19 anos do primeiro encontro, realizado em Viana do Castelo, assinala as comemorações dos 80 anos de atividade da Fundação INATEL.

9 Maio | Sábado
09h30 - Abertura do Secretariado
10h30 - Inauguração da Exposição DESAFIOS | Encontro Nacional de Tocadores de Concertina e Cantadores ao Desafio
Museu do Brinquedo Português
Patente entre 9 de Maio e 30 de Junho
14h00 - Tertúlia Concertinas e Desgarradas: narrativas
Auditório da Câmara Municipal de Ponte de Lima
Oradores: José Machado; Domingos Morais; Artur Fernandes (“Danças Ocultas”); Barros Lopes (tocador), rapper “NTS”, entre outros
22h00 - Concerto de “Danças Ocultas”
Teatro Diogo Bernardes (3 € | M/3)

10 Maio | Domingo
09h30 - Abertura do Secretariado
10h30 - Rusgas pela vila e atuações no Palco DESAFIOS
Av. dos Plátanos
12h30 - Almoço
Escola EB 2,3 António Feijó (Almoço oferecido pela organização a todos os tocadores e cantadores devidamente inscritos até ao dia 4 de Maio de 2015)
14h30 - Continuação das atuações no Palco DESAFIOS
Av. dos Plátanos


Notas importantes:
- A ficha de inscrição terá de ser devolvida até ao próximo dia 4 de Maio de 2015, devidamente preenchida, datada e assinada;
- Embora as atuaçoes possam ser em grupo, a Ficha de Inscrição é individual. Tem de ser enviada uma Ficha de Inscrição por cada Tocador ou Cantador inscrito;
- A organização não garante almoço aos tocadores ou cantadores que se inscrevem após o dia 4 de Maio 2015;
- Poderão inscrever-se e participar grupos que tenham outros instrumentos que não a Concertina, desde que a concertina seja o instrumento principal do Grupo e esteja em número maioritário.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...