Desfile do Entrudo “Olha o home, lá vai o home” em Braga


Porque o Carnaval está à porta, a Rusga de São Vicente de Braga - Grupo Etnográfico do Baixo Minho encontra-se já nos preparativos da Corrida/Desfile do Entrudo - “Olha o home, lá vai o home…”. É um facto que, de ano para ano, se vem registando uma maior adesão de foliões, resultante de associações e/ou instituições que, tem vindo a corresponder ao nosso desafio, quer ainda, de adesões individuais, famílias e de grupos de foliões, organizados para o efeito. Como é óbvio, esta resposta positiva e em crescendo, implica um outro tipo de logística e organização. Nesse sentido, especialmente às associações e instituições convidadas, a Rusga solicita a confirmação de participação, tendo em vista garantir uma maior eficácia na preparação e organização da Corrida/Desfile.

Bracarenses e demais foliões desafiados a participar

Para além dos convites já dirigidos às associações culturais, recreativas e desportivas do concelho, bem como, a escola públicas e privadas e IPSS, pretende-se que todos os bracarenses - crianças, jovens e adultos -, participem neste ritual carnavalesco da cidade, que se perdera no tempo e que a Rusga, em boa hora chamou a si a retoma e promoção de tão singular tradição.

Os foliões (individuais ou em grupos), deverão comparecer na sede da Rusga, na noite do dia 03, Segunda-feira, do próximo mês de Março, pelas 21h15, junto à sede da Rusga, sita na AV. Artur Soares (Palhotas), nº 73, cómica e ironicamente mascarados, fazendo-se acompanhar de objectos ruidosos como, gaitas, apitos, buzinas, bombos, etc. Tal como em anos anteriores, a saída do Desfile do Entrudo, está marcado para as 21h45, que terá por destino o coreto da Av. Central, onde será lido o ‘Testamento do Libório’. Findo este, o Desfile/Corrida regressa a São Vicente, onde, no adro da igreja, será queimado o Home (Entrudo).

Historial
Após um interregno de mais de uma dezena de anos, a Rusga de S. Vicente de Braga – Grupo Etnográfico do Baixo Minho, volta a reeditar o ritual carnavalesco “Corrida e Queima do Entrudo – o HOME”.

Não sendo a cidade dos Arcebispos palco de aparatosos corsos ou outras manifestações carnavalescas de sucesso mediático garantido – foi num passado relativamente recente, tal como noutras localidades e regiões do país -, local de realização de brincadeiras e folias de Carnaval, como a tão ritualizada “Queima do Home”, ou, como também era conhecida, pela  Queima do Entrudo”.

A perder-se de vista no tempo passado, não conseguem os foliões que mantiveram viva esta tradição, situar no tempo a sua origem.

Tratava-se de um “desfile corrido”, que se realizava por lugares, bairros ou freguesias, de entre os quais se poderá aqui referir, por terem sido os últimos a ser realizados, os que provinham dos lugares do Areal de Baixo e de Cima, das Freguesias de S. Vicente e de S. Victor e o da freguesia de Ferreiros.

O desfile que provinha dos lados do Areal, era animado por crianças, jovens e adultos, que, cómica e ironicamente mascarados, por forma a tornarem-se irreconhecíveis perante os demais, empunhavam lumieiras de palha, ou então um tipo de archotes feitos de materiais inflamáveis. A corrida desregrada – ora andava ora corria, ora recuava ora ziguezagueava -, era conduzida por um mascarado que transportava o “Home” o Entrudo.

Esta forma de “cortejo popular” era cadenciada pelo som ensurdecedor de ruidosas gaitas, apitos e buzinas, bombos, etc, de permeio com lamurias em altos brados (um misto de gritos, preces e ais). De quando em vez parava-se o desfile, para que os foliões mais ousados chegassem até perto do “Home/Entrudo” e proferissem os seus lamentos: “Olha o Home!; - Lá vai o Home; - Ai o meu rico Home, ai, ai, ai,…"

O “Home”, era um boneco feito sobre uma estrutura de madeira (cruz ou cruzeta), revestido a palha e vestido com roupas velhas, conferindo-lhe um aspecto caricato e divertido. A cara era uma mascara de cartão pintada com cores garridas.
Fonte: Departamento de Comunicação, Promoção e Imagem da Rusga de São Vicente de Braga

Entrudo Chocalheiro' 2014


ENTRUDO CHOCALHEIRO
De 1 a 4 de Março de 2014
Podence – Macedo de Cavaleiros

PROGRAMA

Dia 2 de Março de 2014 - Domingo - Gordo
9h30 - Prova de BTT - “Trilho dos Caretos"
9h30 - Passeio Micológico
10h00 - Barraquinhas, Mostra e Venda de Produtos Regionais
11h00 - Passeio de Burros
11h00 - Animação de rua - “Urro das Marés” – Açores
14h00 - Passeio Pedestre – Trilho dos Caretos
15h00 - Animação de rua - “Hoste do Magriço” e “Lua Nova” - Gaiteiros de Mogadouro
15h30 - Caretos à Solta
16h00 - Atuação do Grupo “Us Sai de Gatas”
17h00 - Inauguração Oficial do Evento / 10º Aniversário Casa do Careto
            Abertura de Exposição de Pintura - “Arte e Magia dos Caretos de Podence” de José Luis Canelha
17h30 - Merenda à Transmontana
8h00 - Bailarico Popular - “Dupla Face"

Dia 3 de Março de 2014 - Segunda-feira
10h30 - Passeio de Cavalos
10h30 - Raid Fotográfico
14h30 - Barraquinhas, Mostra e Venda de Produtos Regionais
14h30 - Experiência de ser Careto
16h00 - Animação de rua - “Urro das Marés” – Açores e Danças com o Povo
17h00 - Apresentação do Livro “O Diabo e as Cinzas” de António Tiza
19h30 - Noite Gastronómica (Feijoada no Pote)
21h30 - Pregão Casamenteiro – Casamentos
22h00 - Noite da Máscara Mágica com desfile enigmático
22h30 - Queimada
23h00 - Concerto Tradicional. António Malta Gomes, Bruno Mazeda e “Pé na Terra”
01h00 - Kareto Party (DJ Paul Viegaz, DJ Dani R, Los Desesperados)


Dia 4 de Março de 2014 - Dia de Entrudo (Terça-Feira de Carnaval)
10h00 - Barraquinhas, Mostra e Venda de Produtos Regionais
10h30 - Animação de rua, “Serrabecos”
A partir das 15h30 Horas
- Caretos à Solta
- Desfile de Marafonas
- Animação de Rua. “Urro das Marés” – Açores
18h00 - Queima do Entrudo.

Para mais informações, por favor consulte

III Capítulo de Entronização da Confraria dos Enchidos


A pacata vila alentejana de Vila Nova de São Bento recebeu, de braços abertos, o III Capítulo de Entronização da Confraria Gastronómica dos Enchidos com os seus mais de 200 convidados.

Este Capítulo começou com uma visita à fábrica de enchidos Paladares Alentejanos onde foram revelados os segredos da qualidade dos enchidos desta empresa de enchidos tradicionais alentejanos.

De seguida, os confrades e visitantes foram levados ao Monte de Belmeque, em Vale de Vargo, para uma tradicional Matança do Porco, tendo-se, de seguida, realizado uma prova de degustação de enchidos.

Realizou-se o cortejo das várias confrarias pelas ruas de Vila Nova de São Bento, seguido do ponto alto destas cerimónias: as entronizações de novos confrades. Foram entronizados 20 novos confrades efetivos e 5 confrades de Honra de onde destacamos, Henrique Ribeiro, Nuno da Câmara Pereira, D. Pedro José Folque de Mendoça Rolim de Moura Barreto, 6º Duque de Loulé, Pedro Camilo e Constantino Menino.

Foi o Cabido-mor Daniel Luís que abriu a cerimónia, passando a condução da mesma para o Grão-mestre da Confraria Henrique T. Mourato, que convidou o Presidente da Mesa do Cofre da Confraria da Marmelada, Jorge Spencer, bem como Pedro Coelho, da Confraria da Chanfana, por serem as madrinhas da confraria dos enchidos, e ainda o Presidente do Conselho, Fiscal Bruno Silva, para irem para o altar dos juramentos.

Foi ainda entronizada como afilhada da Confraria dos Enchidos a Confraria Enogastronómica da Ribaestrema.

Realizou-se ainda a cerimónia de instalação do novo Cabido-mor da CGE, Daniel Luís, cerimonia conduzida pelas Confrarias Madrinhas e pelo Grão-mestrado presente.

Depois das entronizações e discursos da praxe, foi tirada a fotografia de família com as seguintes confrarias:
Confraria do Atum;
Confraria Bacchus Albufeira Bacchus;
Confraria da Marmelada de Odivelas;
Confraria da Chanfana;
Confraria do Medronho Monchique;
Confraria dos Enófilos e Gastrónomos do Algarve;
Confraria das Almas e do Leitão
Academia Gastronómica e Cultura da Caça
Confraria Enogastronómica da Ribaestrema
Confraria do Queijo de Serpa.

Seguiu-se para um almoço fraterno entre confrades e confrarias e onde o Grão-mestre brindou todos os presentes com os brindes rituais da confraria e ofertando a todos os presentes uma pequena lembrança deste Capítulo

No fim da refeição assistiu-se às atuações do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, do Rancho Coral e Etnográfico de Vila Nova de São Bento, do Grupo Feminino Madrigal; e do Grupo Nascidas para Dançar.

Este evento tinha um cariz solidário, pelo que o Grão-mestre da CGE entregou ao representante do Lar de São Bento de Vila Nova de São Bento um cheque no valor de quase 800 euros, acção bastante aplaudida por todos os presentes.

E para acabar este Capítulo, os Confrades Nuno da Câmara Pereira, Pedro Camilo e Jorge Ganhão brincaram todos os presentes com as suas vozes e canções.
Fonte

Minhotos promovem XXI Encontro de Culturas em Loures


O Grupo Folclórico e Etnográfico “Verde Minho” vai realizar o XXI Encontro de Culturas Luso/Espanhol, denominado Arraial Minhoto, iniciativa que conta com a participação de diversos agrupamentos folclóricos e de música tradicional de Portugal e Espanha, representativos de várias regiões destes países. A edição deste ano tem lugar no Parque da Cidade em Loures, no próximo dia 31 de Maio.

À semelhança dos anos anteriores, está programada para as 16 horas, a abertura dos stands com artesanato e gastronomia Minhota, animado pelo toque de concertinas e cantares ao desafio, bem característicos do Alto Minho. Às 20 h realiza-se um desfile etnográfico pela Avenida principal, entre o Município e o Parque da Cidade, a que seguirá a atuação dos grupos participantes defronte da fachada do pavilhão de Macau. A abrir o desfile, vão rufar os bombos Zés Pereiras Amarantinos, emprestando um ambiente de festa muito ao jeito das alegres romarias do Minho, no norte de Portugal.

Este Encontro de Culturas que, ano após ano, tem vindo a adquirir cada vez maior notoriedade, conta na presente edição com a participação do Grupo Folclórico Etnográfico São Miguel de Entre Ambos-os-Rios - Ponte da Barca, Grupo Etnográfico Renascer da Areosa - Viana do Castelo, Grupo de Folclore Terras da Nóbrega, recentemente criado em Lisboa, e o organizador deste evento, Grupo Folclórico Etnográfico Danças e Cantares ”Verde Minho”. De Espanha vem o Grupo de Danças e Cantares de Aldava - Cáceres. A apresentação está a cargo do Eng.º José Artur Brito - Investigador em Folclore e Etnografia Minhotos.

O espectáculo propriamente dito será antecedido pela cerimónia de imposição de insígnias nos estandartes dos grupos participantes e entrega de ofertas por parte das autarquias patrocinadoras do evento.

De referir que o Grupo Folclórico e Etnográfico “Verde Minho” encontra-se sediado na localidade de A-das-Lebres, Freguesia de Santo Antão do Tojal no concelho de Loures, os seus ensaios são aos sábados à noite no pavilhão multiusos da Associação, Luís Pereira da Mota em Loures, e é uma associação cultural constituída por minhotos e amigos que vivem na região de Lisboa e que procuram manter as suas raízes culturais e as tradições da sua região de origem. Tal como disse um dia o escritor transmontano Miguel Torga, “…no Minho tudo é verde, o caldo é verde, o vinho é verde…” – não podiam, pois, os minhotos que vivem na região de Lisboa, deixar de tomar para si a identificação cromática que caracteriza a sua região.

O XXI Encontro de Culturas Luso/Espanhol, denominado Arraial Minhoto e organizado pelo Grupo Folclórico e Etnográfico “Verde Minho”, constitui uma das iniciativas mais salientes no âmbito da cultura tradicional portuguesa que se realiza na região de Lisboa, constituindo simultaneamente um momento privilegiado de confraternização entre pessoas provenientes de diferentes regiões do país tendo como palco a cidade que nos acolhe, porventura a mais característica e representativa da cultura saloia – Loures!

O Conto Tradicional - Memória, Identidade, Partilha


O CONTO TRADICIONAL
MEMÓRIA | IDENTIDADE | PARTILHA


CONVENTO DOS REMÉDIOS
ÉVORA 13 DE FEVEREIRO A 30 DE ABRIL DE 2014


PROGRAMAÇÃO GERAL
EXPOSIÇÕES
13 Fev a 30 de Abril

ILUSTRAÇÃO DE CONTOS TRADICIONAIS
BIBLIOGRAFIAS SOBRE CONTOS TRADICIONAIS


Horários de Abertura ao Público:
Dias Úteis: das 9:00 – 12:30 e das 14:00 às 18:00
Sábados: das 14:00 – 18:00

FEVEREIRO
Dia 13 (5.ª Feira) 18:00 – INAUGURAÇÃO
Dia 18 (3.ª Feira) 18:00 – Roda de Contos
Dia 19 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “OS NOVOS CONTADORES”
Dia 25 (3.ª Feira) 18:30 – Cinema “SILVESTRE” de João César Monteiro
Dia 26 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “OS CONTOS E AS MARIONETAS”

MARÇO
Dia 1 (Sábado) 16:00 – Marionetas pelo TRULÉ – “Bonecos do Mundo”
Dia 5 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “TEATRO / ANIMAÇÃO CULTURAL”
Dia 8 (Sábado) 16:00 – Marionetas pelo TRULÉ – “Bonecos do Mundo”
Dia 11 (3.ª Feira) 18:30 – Cinema “A PRINCESA PELE DE BURRO” de Jacques Demi
Dia 12 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “OS CONTOS E A MÚSICA CLÁSSICA” (audição)
Dia 15 (Sábado) 16:00 – Worshop Pim Teatro – “Histórias do Arco da Velha”
Dia 18 (3.ª Feira) 18:00 – Roda de Contos
Dia 19 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “LITERATURA E POESIA”
Dia 22 (Sábado) 16:00 – Pim Teatro – “O AUTO DE S. MARTINHO”
Dia 25 (3.ª Feira) 18:30 – Cinema “A FLAUTA MÁGICA” – Ingmar Bergman
Dia 26 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “EDUCAÇÃO FORMAL / NÃO FORMAL”
Dia 29 (Sábado) 16:00 – Worshop Pim Teatro – “HISTÓRIAS DENTRO DE UMA CAIXA”

ABRIL
Dia 1 (3.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “MITOS E CONTOS TRADICIONAIS”
Dia 2 (4.ª Feira) 18:00 – Roda de Contos
Dia 5 (Sábado) 16:00 – Era Uma Vez Marionetas – “O CAPUCHINHO VERMELHO”
Dia 8 (3.ª Feira) 18:00 – Cinema “A LENDA DA FLORESTA” – Ridley Scott
Dia 9 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “LIVROS E EDITORES”
Dia 12 (Sábado) 16:00 – Era Uma Vez Marionetas –“O CAPUCHINHO VERMELHO”
Dia 15 (3.ª Feira) 18:00 – Roda de Contos
Dia 16 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia “MULTICULTURALIDADE”
Dia 22 (3.ª Feira) 18:30 – Cinema “O LABIRINTO DO FAUNO” – Guillermo del Toro
Dia 23 (4.ª Feita) 18:00 – Tertúlia “O CINEMA E OS CONTOS TRADICIONAIS
Dia 25 (6.ª Feira) 16:00 –Era Uma Vez Marionetas –“O CAPUCHINHO VERMELHO”
Dia 26 (Sábado) 16:00 – Era Uma Vez Marionetas –“O CAPUCHINHO VERMELHO”
Dia 29 (3.ª Feira) 18:00 – World Crisis Theatre – The Power of Crisis: Crise, Memória, Identidade

Dia 30 (4.ª Feira) 18:00 – Tertúlia – “OS CONTOS E AS ARTES VISUAIS”

ORGANIZAÇÃO:
Centro de Recursos da Tradição Oral e Património Imaterial do Concelho de Évora
Divisão do Centro Histórico, Património, Cultura e Turismo
Câmara Municipal de Évora

APOIOS E COLABORAÇÕES:
DGEstE-DSRAlentejo
DRCAlentejo
Era Uma Vez… Teatro de Marionetas
Trulé–Investigação de Formas Animadas
FIKE-Festival Internacional de Curtas-Metragens
Ex-Quorum Associação Cultural
Pim Teatro Associação Cultural
É Neste País Associação Cultural
Eborae Musica Associação Cultural
Círculos de Transformação Ass. Cult.
Pé de Xumbo Associação Cultural
Departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora
Livraria Fonte de Letras
Zorra Produções Artísticas

As práticas da actividade associativa em Seminário, de 7 a 28 de Março!

As práticas da actividade associativa em Seminário
“Produção de eventos: da ideia à avaliação”, eis o mote do V Seminário para o Associativismo, iniciativa conjunta do Município de Águeda e da d'Orfeu Associação Cultural, com o apoio da Junta de Freguesia de Águeda, que vai decorrer de 7 a 28 de Março, com formadores especializados na actividade cultural, desde a concepção de um projecto até à sua divulgação e documentação, num total de 15 sessões. As inscrições poderão ser feitas a partir de hoje, 4 de Fevereiro, junto do Gabinete do Associativismo da CM Águeda.

Na senda das edições anteriores, em que participaram centenas de dirigentes associativos (tanto de Águeda como de outros pontos do país), o Seminário para o Associativismo pretende ser uma inspiradora experiência colectiva de formação, conferindo aos participantes oportunidades únicas para desenvolver as suas competências no contexto associativo, ao mesmo tempo que podem esclarecer dúvidas e melhorar práticas já implementadas nas suas organizações. Este Seminário baseia-se, em boa medida, na partilha da experiência acumulada da d’Orfeu, associação cultural de referência na região e reconhecida por via da sua constante actividade cultural, e da sua rede de parceiros.

A abertura da edição deste ano do Seminário está marcada para o dia 7 de Março, às 19h00, numa sessão para toda a comunidade e imprensa, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Águeda. Ao longo do mês de Março, os módulos teórico-práticos suceder-se-ão em horário pós-laboral, alternando entre o Edifício-Sede da Junta de Freguesia de Águeda e o Espaço d'Orfeu. No dia 28 de Março, a partir das 18 horas, a sessão de encerramento incluirá Debate sobre os resultados e as experiências desta 5ª edição, a apresentação do livro "Liderança Comunitária. Estudo Colaborativo com Dirigentes Associativos" e a entrega dos Certificados. O programa detalhado, com respectivos formadores, pode ser consultado nos sites http://www.dorfeu.pt/ e http://cm-agueda.pt/.

O V Seminário para o Associativismo é dirigido aos membros das associações do concelho de Águeda, mas está aberto à participação de todos os interessados. Cada associação pode inscrever quantos participantes desejar, num ou em vários workshops, sendo a inscrição gratuita e aceite por ordem de chegada. As inscrições para as associações aguedenses decorrem a partir do dia 4 de Fevereiro e para interessados de fora de Águeda a partir de 11 de Fevereiro.

Inscrições: Câmara Municipal de Águeda
associativismo@cm-agueda.pt
Telf. 234610070 (ext. 1236) ou 962029855
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...