Refeições tradicionais populares



Almoço durante as vindimas, no Douro
“Os nomes portugueses das comidas são: a parva, o almoço, a côdea, chamada também fatiga (fatia), o jantar (pronúncia popular: jentar, jintar), a merenda, a ceia e o ceiote (pronúncia popular: cióte, verbo ciotar).
A parva consta de pouca comida, como azeitonas com pão e aguardente, e dá-se antes do almoço aos trabalhadores, os quais dizem então que vão matar o bicho (Beira Alta).
O almoço é a comida da manhã.
A côdea é uma pequena refeição entre o almoço e o jantar (Carrazeda de Anciães).
O jantar, nas aldeias, é geralmente à hora do meio-dia.
A merenda (só há merendas desde 25 de Março até 8 de Setembro) é à tarde.
A ceia é ao anoitecer.
O ceiote é geralmente à meia-noite, e dá-se aos homens que andam em certos trabalhos, como de lagar, etc. (Tabuaço).
Em algumas partes é costume dizer certa oração ao começar a comer. Nos conventos liam-se em voz alta livros espirituais durante a comida […]. O uso de dar graças a Deus no fim do jantar (e às vezes da ceia) é geral. Diz-se numa pequena oração, como: Nosso Senhor nos dê muito e sustente com pouco, etc.
Enquanto se come, não deve estar dinheiro sobre a mesa, porque é sinal de traição ou pobreza (Vila Real).
À mesa do jantar não nos devemos sentar entre médico e padre, porque é sinal de morte (Douro).
Se estão treze pessoas à mesa, morre uma nesse ano.
Não se deve comer ao luar, porque quem come ao luar come a lua.
Não se deve estar na quina da mesa, porque quem aí está não casa (Porto).
À parte da comida que não é caldo chama-se condoito ou peguilho; até se diz a alguém que está a comer pão: apeguilha-o com alguma coisa (Beira Alta).
Enquanto se faz a ceia, a família está ao lume e reza a coroa de Nossa Senhora em coro (aldeias da Beira Alta).
Adaptado de J. Leite deVasconcellos in «Tradições populares de Portugal»
Clicando nos links abaixo, poderá ficar a conhecer mais sobre as refeições no tempo dos nossos “avós”:
Concelho de Melgaço e Castro Laboreiro
«A Montanha», região a Nascente de Chaves, Vila Pouca de Aguiar, Valpaços, Quinta da Aguieira, perto de Torre de D. Chama, Concelho de Mirandela, Concelho de Bragança
Refeições de trabalhadores na Beira Baixa e parte da Beira Alta, no Verão, Meda, distrito da Guarda, Oliveira de Azeméis, Oliveira de Azeméis, Vila de Almeida, Rapa, concelho de Celorico da Beira, Vilar Seco, concelho de Nelas, Canas de Senhorim, concelho de Nelas, Mizarela, concelho da Guarda
Lisboa
Tolosa, concelho de Nisa, Beja, Odemira
Mexilhoeira Grande, concelho de Portimão
In "Alto Douro, terra de vinho e de gente" - A.L. Pinto da Costa, Edições Cosmos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...